Vereador e indicado político são acusados de assediar ex-servidora de Cuiabá

O vereador Adevair Cabral (PSDB) e seu indicado político, Gilson Guimarães de Souza, estão sendo acusados de assédio e importunação sexual contra uma ex-servidora da Saúde pública de Cuiabá. O caso veio à tona após o próprio vereador ter registrado um Boletim de Ocorrência contra o vereador Abílio Júnior (PSC) sob acusação de que o mesmo estaria divulgando foto íntima.

Conforme apurado pelo Gazeta Digital, o caso teria ocorrido no ano passado, quando Adevair Cabral teria iniciado o assédio a servidora M.C.C. O parlamentar, segundo informações, conseguiu o celular dela, via Gilson Guimarães, que seria indicado por Adevair na Secretaria Municipal de Saúde, onde é  coordenador da Regional Norte da equipe de Atenção Básica do Município.

Após isso, a vítima relata que o vereador começou o assédio, via aplicativo de WhatsApp, chegando a convidá-la para sair e até enviando fotos onde estaria apenas de cueca. Com a negativa da vítima, o afilhado político do parlamentar começou a assediá-la também.

Após a ex-servidora também ter negado às investidas do coordenador, ela relata que começou a sofrer assédio moral. M.C.C. chegou a ser transferida inúmeras vezes do seu local de trabalho como forma de represália por parte do vereador e seu indicado político. Diante disso, a ex-servidora chegou a registrar diversos Boletins de Ocorrência contra Gilson Guimarães, já que ela se sente ameaçada pelo vereador.

Diante disso, a servidora teria procurado o vereador Abílio Júnior (PSC) e mostrado todas as conversas entre ela e o vereador. O parlamentar então decidiu encaminhar a servidora para o Ministério Público (MP) de Mato Grosso e a Delegacia da Mulher.

M.C.C. acabou sendo demitida e hoje não reside mais em Cuiabá, com medo de represálias. Conforma apurado pela reportagem, a vítima chegou a entrar em depressão e hoje não consegue andar sozinha, quando vem a Cuiabá.

Outro lado

Procurado pela reportagem, o vereador não atendeu às ligações telefônicas e nem respondeu as mensagens. Já em relação ao servidor Gilson Guimarães, a assessoria da Secretaria Municipal de Saúde informou que não irá se manifestar, tendo em vista que a vítima não é mais servidora da pasta, e que não localizou o servidor para saber se ele quer se manifestar sobre o assunto.

Gazeta Digital

- Publicidade -