Homem morre de câncer e hospital atesta covid; filha prova que não

Aléxia Cardoso disse que o pai, Cesar Alves de Lara, 64 anos, tinha câncer no fígado.

29 de Julho de 2020 ás 15h 38min

A esteticista Aléxia Cardoso de Lara acusa de negligência o Hospital Santa Rosa, em Cuiabá, por erro em declaração de óbito do pai dela, o empresário Cesar Alves de Lara, 64, que morreu no dia 23 de junho diagnosticado com covid-19. A jovem gravou um vídeo e postou em sua página do Facebook relatando toda a luta que enfrentou para fazer a unidade de saúde corrigir o documento e, assim, poder realizar o velório e sepultamento, já que o pai sofria de um câncer no fígado. Ele foi levado para o hospital após sofrer uma queda em casa e teve quadro agravado durante a internação, que durou apenas cinco dias.

                                                            

O erro foi observado logo que se dirigiu ao Instituto Médico Legal (IML) para dar entrada na cerimônia fúnebre e não pôde fazê-lo, contou Aléxia. Porque, segundo o IML, a declaração trazia que o empresário morrera por decorrência do coronavírus e, nesse caso, o próprio hospital fica responsável pelo procedimento, mas ela não podia aceitar o que tinha certeza que estava errado.

 

“Com muito custo, insistência, provas e mais provas de que meu pai não estava com covid o hospital enxergou que eles estavam errados. E magicamente o resultado do PCR saiu, deu negativo. Aí eles pediram para devolver a guia que eles dariam outra declarando os motivos que levou a falecer, que é outro mistério. É negligência, negligência mesmo”, traz trecho do desabafo na rede social.

 

Aléxia revelou que ouviu de funcionários da funerária e cemitério que casos do tipo parecem estar se tornando comuns, onde os hospitais põem na declaração covid como a causa da morte e o familiar relatar não acreditar ser verdade, porém poucos vão atrás de corrigir o erro como ela fez. Agora, a esteticista faz esse alerta as outras pessoas e também está em contato com o advogado da família a fim de entrar com uma ação contra o hospital.

 

“Não é pelo dinheiro, mas por todo esse transtorno e desgaste que passamos nesses dias”, finalizou a jovem que levou o pai apenas para tratar de uma queda que não é raro na situação dele, mais de 60 anos e curado de um câncer.

 

Outro lado:

 

A reportagem entrou em contato com a assessoria do hospital e aguarda o posicionamento da unidade de saúde.

 

Veja o vídeo

 

Fonte: Reporter MT

Comentários