PUNIÇÃO EXEMPLAR: Vereador é afastado por pagar R$ 100 mil por evento fake

Ex-secretário de Agricultura de Brasnorte, Carreirinha atestou e pagou notas fiscais do Dia de Campo que não aconteceu

17 de Agosto de 2020 ás 07h 55min

A Câmara de Brasnorte (572 km de Cuiabá) decidiu pelo afastamento do vereador Reginaldo Martins Ribeiro (PSD), conhecido como Carreirinha, após a aprovação do relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou o desvio de R$ 100 mil da Secretaria Municipal de Agricultura na época em que o parlamentar era gestor da pasta.

 

 

Os vereadores entenderam ser necessário o afastamento de Carreirinha para preservar a ‘idoneidade e seriedade’ nas investigações. No total foram cinco votos favoráveis e um contra.

 

 

                                                           

 

 

De acordo com o que foi apurado até o momento, o vereador Carreirinha teria desviado o recurso em 2014, na gestão do ex-prefeito Tarcísio Aguiar. O dinheiro seria utilizado para a realização de um Dia de Campo, na Gleba São Bento, zona rural de Brasnorte. Entretanto, o evento não teria ocorrido.

 

 

Os agricultores da região afirmam que apesar da não realização, houve prestação de contas por parte da secretaria, inclusive com notas atestadas por Carreirinha.

 

 

Segundo o relatório, dos R$ 100 mil, R$ 90 mil eram oriundos do Governo do Estado e os R$ 10 mil seria contrapartida da prefeitura. O montante teria sido pago a uma empresa que, em tese, realizaria o Dia de Campo. "Comprovando o dano ao erário público, sob responsabilidade do ex-prefeito, Tarcísio Aguiar, e do ex-secretário de Agricultura , Carreirinha", diz o relatório.

 

 

No entanto, o vereador investigado alega não ter conhecimento de que o evento não teria ocorrido. "O que causa, de fato, incredulidade é que o investigado, mesmo tendo ciência do objeto do convênio, tendo requerido abertura de processo licitatório, atestado todos os pagamentos e notas fiscais, alega não ter conhecimento da não realização do evento", diz trecho do relatório da CPI.

 

 

O vereador Roberto Carvalho (MDB), relator da CPI, argumenta que o afastamento tem o caráter educativo, uma vez que serve de "exemplo para os demais integrantes da Câmara Municipal". 

 

 

Segundo informações da Câmara, Carreirinha é pré-candidato à reeleição e o fato de estar sendo investigado não o impede de participar do pleito. Até o momento, o vereador não se manifestou sobre o afastamento.

Fonte: FOLHA MAX

Comentários