Próximo de lockdown mais rigoroso, prefeito defende prisão de quem descumpre regras e volta culpar população

29 de Agosto de 2020 ás 08h 53min

O prefeito de Cáceres (220 quilômetros de Cuiabá), Francis Maris Cruz, que deverá decretar nos próximos dias um lockdown mais rigoroso na cidade afirmou que é a favor de prender pessoas que descumprem as regras de isolamento social e biossegurança para conter o novo coronavírus. Porém, segundo ele, a orientação do comando da Polícia Militar vai contra o seu pensamento. Além disto, ele pontuou que a culpa por novos fechamentos é exclusivo da população.

 

 

“É uma situação de calamidade e, por mais que peçamos para que a população não se aglomere, não adianta. Se você for domingo aqui nas praias de Cáceres, vai ver duas mil pessoas aglomeradas. Entendemos que com o calor é difícil, é natural do ser humano, mas esta aglomeração faz crescer demais o número de casos, o que já está acontecendo na nossa cidade”, explicou ao Olhar Direto.
 

 

Segundo o prefeito, outro ponto de bastante aglomeração são as agencias bancárias. “A fiscalização chega e encontra as pessoas todas aglomeradas, até sem máscara. A Polícia Militar arruma tudo, deixa certo, mas depois que sai desorganiza tudo novamente, o desrespeito volta”.
 

 

O prefeito preparar um lockdown mais rigoroso na cidade, caso a situação continue a seguir neste direção de acréscimo de casos, até com o fechamento de farmácias, que funcionarão somente por delivery. Questionado sobre a possibilidade de aplicação de multas em pessoa física, ele afirma que a situação é bastante complicada.
 

 

“Eu sou favorável a prisão das pessoas que desrespeitarem. Mas as Polícia Militar tem instrução do comando para que não faça detenção por desrespeitar as medidas. Temos que respeitar e conviver. Sabemos que vai contaminar, que teremos problemas, mas estamos em um pais democrático”, disse Francis.
 

 

O prefeito ainda acrescenta que não seriam necessários decretos e medidas rígidas se a população colaborasse. “Se todos fizessem sua parte, usassem máscaras, não aglomerassem, não precisava disto, de prejudicar a economia, fechar tudo. A culpa é da própria população. Depois de tanto tempo, parece que relaxou. As pessoas acham que não vão pegar mais e isto não é verdade. Os casos voltaram a crescer, assim como as mortes”.
 
 

 

Novo lockdown
 

 

O prefeito de Cáceres (220 quilômetros de Cuiabá), Francis Maris Cruz, deverá decretar um novo lockdown (fechamento total) na cidade nos próximos dias, desta vez mais rígido, para conter o avanço dos casos, que dobraram nos últimos dias. A intenção é proibir que as pessoas saiam de suas casas e baixar a porta até de farmácias, que atuariam somente por delivery. A situação é bastante grave, conforme o chefe do Executivo. A cidade tem 1.269 casos confirmados da doença e 63 óbitos.
 

 

“Dobrou o número de infectados por semana. Passou de 100 para 200. O número de óbitos cresceu muito, quase que dobrou também, é uma situação de calamidade, bastante grave. Por mais que peçamos para que a população se aglomere, não adianta. Existem aglomerações nas praias, agências bancárias, desrespeito às medidas”, disse Francis em entrevista ao Olhar Direto.
 

 

O Ministério Público Estadual, em reunião do Comitê de Crise na quinta-feira (27), recomendou a adoção de um novo lockdown na cidade, desta vez ainda mais rígido, o que deverá ser adotado pelo prefeito.
 

 

“A intenção é fechar tudo, inclusive contar com a polícia para que não deixe as pessoas saírem de casa. Não adianta deixar todos fazendo festinhas, rodas de tereré, narguilé. Tudo isto contamina. O jovem é o principalmente disseminador da doença, dificilmente são internados, mas são os que levam a Covid-19 para casa, para os pais e avós”, explicou o prefeito.

Fonte: OLHAR DIRETO

Comentários