Suspeito de abusar sexualmente de uma mulher na sala de raio-x da UPA, é Demitido por justa causa

04 de Agosto de 2020 ás 14h 52min

Entenda o que aconteceu, neste caso, se for confirmado, é de extrema preocupação a todos em saber que há profissionais da saúde que atuam sem o mínimo de ética profissional, pois quando um paciente ou (a), procura por atendimentos nas Unidades de Pronto Atendimento, é por que estão em situação de vulnerabilidade, em busca de cuidados específicos e não para serem assediados ou abusados, o que acaba piorando a situação dos pacientes.

 

No último domingo dia 19 de julho a polícia militar, foi solicitada por uma mulher de 32 anos, os policiais ao chegarem na Unidade de pronto atendimento a paciente relatou que sofreu abusos sexuais por um profissional de saúde, referente a área da radiologia.

                                                                      

Ela sofreu uma queda do veículo de esposo que estava em movimento, chegando na UPA o médico solicitou, exames de raio-x, foi aí que começou tudo, o profissional após fazer os exames declarou que as imagens não estavam boas, e houve a necessidade de refazer os exames, nesta hora o profissional solicitou a vítima que tirasse as roupas para fazer as novas radiografias, após ter feito as radiografias ele perguntou a vítima se ele poderia ajudá-la vestir a calcinha, ela aceitou por que  estava com dificuldades para se levantar pois estava com fortes dores na coluna, até aí tudo dentro do normal, mas em seguida ele pediu: “ Deixa eu arrumar aqui” e começou passar as mãos em suas partes íntimas, a mulher constrangida pediu que parasse imediatamente com isso, ele parou e ainda ressaltou a mulher “Você tem as partes íntimas bonitas isso é nosso segredo”.

 

Os dois foram conduzidos à delegacia de polícia para o registro do boletim de ocorrências, e o profissional destacou que estava seguindo os protocolos pois ela necessitava de radiografia de poli trauma.

 

Foram apurados os fatos, e  através de informações da Secretária de Saúde Leda Vilaça, Leda confirmou que a denúncia procede, pois no dia 20 de julho ela recebeu o Boletim de Ocorrência através do tenente da polícia, logo após o recebimento do BO, imediatamente foi solicitado a demissão por justa causa do profissional.

 

A Secretária ressalta, ainda que esteja sob investigação o caso, não é aceitável manter um profissional na área de saúde com uma denúncia tão grave, o profissional já está afastado, ele é um funcionário de uma empresa terceirizada e já foi colocado à disposição da empresa, pois não há possibilidades de manter no quadro da saúde do município de Juína.

 

Leda deixa bem claro, não são protocolos a serem seguidos, e ainda destaca que ela sendo uma mulher, ficou estarrecida com os relatos dessa paciente, a secretária de saúde explicou que por conta disto já ouviu outros relatos, e fica o alerta para os pacientes que se tiver algo estranho em atendimentos, levem aos órgãos responsáveis e denunciem sigam o exemplo dessa paciente, pois nenhum cidadão pode se sentir constrangido em um atendimento de saúde.

 

O Caso segue sob investigação  pela Polícia Judiciária Civil.

Fonte: JUINA NEWS

Comentários