MP apura caso de sargento da PM que morreu após impasse de UTI em MT

Juarez Conceição de Matos, de 46 anos, morreu no dia 26 de agosto enquanto aguardava um impasse de transferência de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para o Hospital Regional de Rondonópolis.

FIQUE POR DENTRO 19 de Setembro de 2020 ás 13h 04min
Juarez Conceição de Matos, de 46 anos, morreu no dia 26 de agosto enquanto aguardava um impasse de transferência de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para o Hospital Regional de Rondonópolis

O Ministério Público de Mato Grosso, abriu um inquérito civil para apurar as circunstâncias que levaram a morte do policial militar em Rondonópolis, a 218 km DE Cuiabá.

 

Juarez Conceição de Matos, de 46 anos, morreu no dia 26 de agosto enquanto aguardava um impasse de transferência de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para o Hospital Regional de Rondonópolis.

 

O documento foi assinado pelo promotor de justiça Ari Madeira. O inquérito foi aberto com base nas informações do boletim de ocorrência registrado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Rondonópolis.

 

No boletim, constava que a equipe do Samu foi solicitada para transferir um paciente que estava na UPA para uma UTI no hospital regional.

 

Porém, ao chegar no hospital a equipe foi informada que eles não receberiam esse paciente por conta de uma senha de regulação que não havia sido apresentada. 

 

Enquanto a situação ficou se enrolando, passaram-se 45 minutos e o paciente apresentava muita dificuldade em respirar e precisa urgente de uma UTI.

 

A equipe do Samu então decidiu chamar a polícia militar e só assim o acesso a UTI foi liberado.

 

A vítima era sargento da polícia militar em Jaciara.

 

Ele fazia tratamento de problemas renais e após toda a confusão, o paciente teve uma parada cardiorrespiratória, não resistiu e morreu.

 

O MP solicitou que a central de regulação preste esclarecimentos sobre como se deu a regulação do paciente e que a polícia civil prossiga com o inquérito policial sobre o caso.

 

A reportagem pediu um posicionamento para a Secretaria Estadual de Saúde sobre a abertura do inquérito policial, mas até o momento, não teve retorno.

Fonte: G1 MT

Comentários