Gêmeas de sete anos são mortas pela própria mãe enquanto dormiam

A mulher era psicóloga e em seu site ensinava aos clientes como "conviver melhor com a família

FIM DOS TEMPOS 30 de Outubro de 2020 ás 14h 15min
Foto: Reprodução

Uma psicóloga de 55 anos matou as duas filhas gêmeas, de 7 anos, a tiros enquanto dormiam. Em seguida, ela se matou. O caso ocorreu em Washington, nos Estados Unidos.

 

Michele Deegan travava uma briga judicial com o ex-marido pela guarda das meninas. Ela o havia denunciado na Justiça por violência doméstica. Uma das hipóteses é de que o crime tenha sido cometido em decorrência dessa disputa nos tribunais. As informações são do Daily Mail.

Michele era terapeuta e, em seu site pessoal, afirmava que seu objetivo era justamente “ensinar a seus clientes novas formas de lidar com os problemas, comportamentos e atitudes saudáveis, habilidades de comunicação para conviver com as famílias, parceiros e colegas de trabalho para que possam realizar mudanças em suas vidas”.

 

Antes de atirar nas meninas e tirar a própria vida, ela compartilhou publicações em seu Facebook sobre como o convívio com narcisistas pode motivar o suicídio.

Busque ajuda

O Metrópoles tem a política de publicar informações sobre casos de suicídio ou tentativas que ocorrem em locais públicos ou causam mobilização social. Isso porque é um tema debatido com muito cuidado pelas pessoas em geral. O silêncio, porém, camufla outro problema: a falta de conhecimento sobre o que, de fato, leva essas pessoas a se matarem.

 

Depressão, esquizofrenia e o uso de drogas ilícitas são os principais males identificados pelos médicos em um potencial suicida. Problemas que poderiam ser tratados e evitados em 90% dos casos, segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria.

Fonte: cm7

Comentários