TRAGÉDIA DO ALPHAVILLEJustiça manda prender atiradora que matou amiga dentro de mansão em Cuiabá

Internação compulsória tem validade de 45 dias

15 de Setembro de 2020 ás 20h 17min

O juízo da 2ª Vara da Infância e Juventude de Cuiabá determinou a internação compulsória da adolescente de 14 anos que efetuou o disparo contra a estudante Isabele Guimarães Ramos, também de 14 anos, numa mansão no condomínio Alphaville 1, em Cuiabá. O período de internação é de 45 dias e ela ficará recolhida na ala feminina do Complexo do Pomeri.

 

 

Segundo fontes do Poder Judiciário, o mandado de busca e apreensão da menor já foi expedido, mas ela ainda não foi localizada.

 

 

A menor foi indiciada pela Delegacia Especializada do Adolescente (DEA) por ato infracional análogo a homicídio doloso, quando há intensão de matar. No último dia 10 de setembro, o Ministério Público Estadual fez a representação contra ela e requereu sua internação compulsória.

 

 

INQUÉRITO

 

 

Isabele Ramos foi morta dentro do banheiro por um tiro de arma de fogo disparo pela amiga, que à época também tinha 14 anos, filha do empresário Marcelo Cestari. Inicialmente, o caso era tratado como acidental, mas as investigações apontaram que houve um acionamento do gatilho, o que descartou a versão da menor.

 

 

Cestari foi indiciado por quatro crimes, entre eles homicídio culposo, por ter deixado a filhar pegar a arma que resultou na morte de Isabele. Somados a outros crimes pelos quais foi indiciado (porte ilegal de arma, fraude processual e permitir uso de arma de fogo por menos de idade), ele oode pegar até 16 anos de prisão.

 

 

Já a menor que efetuou o disparo, responderá por ato infracional equivalente a homicídio. A punição prevista para o caso é de seis meses a cinco anos de internação.

 

 

O namorado da menor responderá por ato infracional equivalente a porte ilegal de arma de fogo, por ter se dirigido de sua residência à mansão da família Cestari com duas pistolas. O pai dele, segundo a PC, foi indiciado por omissão de cautela.

Fonte: FOLHA MAX

Comentários