LINHA DE FRENTE: Servidoras entram em depressão e cometem suicídio em MT

Conselho de Enfermagem alerta sobre saúde mental de servidores que estão no enfrentamento à pandemia

MEDIDA EXTREMA 28 de Julho de 2020 ás 13h 43min

Duas servidoras da saúde, que atuavam na linha de frente de combate a pandemia do novo coronavírus, tiraram a própria vida nesta segunda-feira (28). As profissionais foram identificadas como E.M., técnica de enfermagem que atuava no Hospital Regional de Rondonópolis, e G.L.M., servidora da Funasa que atuava no Escritório Regional de Rondonópolis. 

 

De acordo com a presidente substituta do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde do Estado de Mato Grosso, Ana Cluadia Machado, as profissionais não resistiram a um quadro depressivo, que se agravou durante a pandemia. “Nós tivemos duas perdas significativas de colegas da saúde que faleceram em Rondonópolis. Elas eram duas batalhadoras do SUS, dedicadas e comprometidas. Elas não conseguiram enfrentar esse momento de tristeza muito grande e acabaram tirando a própria vida. É com muito pesar que lamentamos por essas duas colegas”, lamentou durante a reunião Assembleia Extraordinária realizada nesta segunda. 

 

Vale ressaltar também que, em Mato Grosso, 21 enfermeiros e 7 médicos já perderam a vida para o novo coronavírus. A região Centro-Oeste o estado é que tem maior número de mortes e o segundo com maios casos registrados na categoria. 

                                                            

Na tarde de ontem, o Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso emitiu nota lamentando a morte da servidoras. “Enviamos votos de força a família, amigos e profissionais de enfermagem de Rondonópolis, que sofrem mais esta perda irreparável, entre outras sofridas recentemente. 

 

O Governo do Estado também se manifestou sobre o falecimento. “As diretorias do Hospital e do Escritório Regionais de Rondonópolis e todos os seus colaboradores expressam os sentimentos de pesar aos familiares e amigos das profissionais e manifesta gratidão pela dedicação à Saúde do Estado”, disse. 

No mês passado, o secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, reconheceu que diversos profissionais estavam sofrendo um colapso emocional diante do número de casos, óbitos e a dificuldade para atender todos os pacientes na rede pública de saúde. 
 

AJUDA

 

O CVV (Centro de Valorização da Vida) tem realizado em Cuiabá, todas as quintas-feiras, reuniões com sobreviventes ao suicídio e seus familiares. Assim como parentes de pessoas que se mataram.

 

Também passaram a serem gratuitas as ligações feitas ao número 188. Canal de atendimento 24 horas

 

Mais de um milhão de atendimentos anuais são realizados por 2.000 voluntários pelo telefone 188, pessoalmente (nos 80 postos de atendimento) ou pelo www.cvv.org.br.

Fonte: FOLHA MAX

Comentários