Cuiabá engolida por fumaça lembra cenário apocalíptico; veja vídeo

Além do ar irrespirável, a falta de umidade e o calor ainda vão continuar. Segundo a previsão, o sábado terá 41 graus. Na segunda o tempo pode mudar, mas a previsão é de chuva negra para a cidade

A CHUVA NEGRA VEM AÍ 19 de Setembro de 2020 ás 08h 07min
REPORTER MT

Cuiabá passou por uma mudança climática radical e, em três meses, ficou “sem vida”, perdeu suas cores. O céu azul foi tomado por uma fumaça tóxica oriunda dos incêndios florestais. O Pantanal registra a maior queimada da história, mas o fogo não está só ali. Há várias outras regiões do Estado queimando. Outros recordes foram o de temperatura mais alta na Capital, 42,7 graus, e a umidade relativa do ar mais baixa, 4%. 

 

 imagens do mês de maio com o mês de setembro, feitas de drone na Arena Pantanal, onde é possível ver a alteração brusca de cenário. 

 

Na foto feita no dia 27 de maio, há um céu límpido e azul, acompanhado de um verde intenso da área de vegetação que fica na região. Já na imagem desta sexta-feira (18/09), o panorama muda radicalmente. A região está encoberta de fumaça e é quase impossível ver as casas que cercam o estádio. As plantas estão extremamente secas e sem vida, alguns pontos aparecem “pelados”. 

 

Além do ar irrespirável, a falta de umidade e o calor ainda vão continuar. Segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cpetc), o sábado (19) terá a mínima de 25 graus e a máxima de 41 graus em Cuiabá. Já o domingo (20), tem mínima de 27 graus e máxima de 40 graus. Na segunda o tempo pode mudar, mas a previsão é de chuva negra para a cidade. 

 

Um site de notícias conversou com o doutor em Climatologia e coordenador do Laboratório de Climatologia Geográfica da Universidade Nacional de Brasília (UNB), professor Rafael Rodrigues de França, que explicou que a cidade enfrentará esse fenômeno devido a uma substância que vem das queimadas.

 

“Há sim [risco de cair chuva preta], porque, de fato, tem sido um ano excepcional do ponto de vista dos incêndios florestais. O produto resultante dessas queimadas, desses incêndios, vai para a atmosfera”, aponta Rafael.

 

“A chuva lava a atmosfera. Quando ela faz essa lavagem ela transporta tudo isso que está em suspensão, todo esse material particulado suspenso. Tanto é que depois da chuva a atmosfera fica límpida, o ar fica bem agradável, a qualidade do ar melhora muito”, disse.  ,

 

Compare a vista da Arena Pantanal:  

Fonte: REPORTER MT

Comentários