Aos 88 anos, vovó pede para ‘cair no samba’; ‘Casei com homem machista e fiquei muito tempo sem ir’

Aposentada em MS conta que, por décadas, não pode frequentar o carnaval porque o marido não a deixava ir sozinha. "Foi a maior emoção da minha vida", disse.

BANNER – BINOTTI
PAX

“Quero uma roupa rosa, sobrancelha pintada e o cabelo amassadinho”. É assim que a aposentada Maria de Lourdes Alves de Lima, de 88 anos, se arrumou para “cair no samba”, neste final de semana, em Campo Grande. A aposentada conta que, por décadas, não pode frequentar o carnaval porque o marido tinha um comportamento machista e não a deixava ir sozinha.

“A minha história com o carnaval é muito longa, eu sempre gostei muito. Ontem, fui em uma feijoada da Vila Carvalho, que tinha como atração principal a bateria da Mangueira. Foi um pedido para minhas filhas e me deixou muito emocionada. As mulatas me abraçaram, me beijaram e ver os músicos tocando perto foi a maior emoção da minha vida”, contou ao G1 Maria de Lourdes.

Conforme a idosa, o marido, quando não ia nos eventos, dizia que ela também não podia ir. “Fui casada mais de 60 anos e agora vai completar cinco anos que ele faleceu. Depois de muito tempo é que minha filha ia desfilar como porta-bandeira e ele me deixou acompanhá-la. Ontem eu lembrei de tudo isso e saí de lá muito feliz, só queria ter dançado mais com elas, só que o joelho não deixou”, brincou.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Loading...